#

Alimentação escolar

Início

Programas de alimentação escolar têm múltiplos benefícios e por isso constituem um elemento central na metodologia de trabalho do Centro. A alimentação escolar contribui para melhorar os índices de nutrição infantil, aumenta as taxas de matrícula e frequência escolar e melhora a performance dos alunos, além de catalisar oportunidades para agricultores locais e comunidades.

Oficina de nutrição e alimentação escolar

Delegações de 11 países participaram, no dia 9 de maio, da oficina Dia de Alimentação Escolar e Nutrição, organizada pelo Centro de Excelência contra a Fome. A oficina teve como principal foco compartilhar a experiência do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Membros da equipe técnica do PNAE apresentaram aspectos específicos, como a legislação por trás do programa, seus sistemas de implementação e monitoramento, os aspectos nutricionais e as estratégias adotadas para garantir a cobertura das necessidades nutricionais básicas de crianças e adolescentes, além do vínculo entre o PNAE e os agricultores familiares. Os países participantes também compartilharam informações sobre iniciativas na área de alimentação escolar que vêm sendo desenvolvidas, muitas com apoio do Centro

Integração entre alimentação escolar e proteção social

Um grupo de 38 membros da equipe do PMA e representantes de cerca de 30 países africanos participaram de 30 de maio a 3 de junho do II Seminário Regional do PMA sobre Alimentação Escolar com Compra Local de Alimentos – Como integrar sistemas, em Addis Abeba, Etiópia. Liderado pela União Africana, o Centro de Excelência contra a Fome, o Escritório Regional do PMA em Dacar e o Escritório do PMA para a União Africana, o seminário forneceu informações técnicas aos governos sobre como aprimorar o desenho e a implementação de seus programas nacionais de alimentação escolar e como integrá-los com proteção social, nutrição e agricultura.

Voltar ao inicio

Manual Global de Alimentação Escolar

O Programa Mundial de Alimentos (PMA), em parceria com o Imperial College London’s Partnership for Child Development e o Banco Mundial, analisou os programas de alimentação escolar de 14 países. O objetivo foi oferecer diretrizes a governos e agências de desenvolvimento sobre como desenhar e implementar programas sustentáveis e de larga escala. O Programa Nacional de Alimentação Escolar do Brasil foi um dos casos analisados, assim como África do Sul, Botswana, Cabo Verde, Chile, Costa do marfim, Equador, Gana, Índia, Mali, México, Namíbia, Nigéria e Quênia. Os autores do estudo selecionaram os países de modo a garantir diversidade geográfica, de abordagem e de nível de desenvolvimento.

https://goo.gl/HMtwLl