Intercâmbios Virtuais • Publicações

Dia Internacional da Educação: o papel da alimentação adequada no ambiente escolar

O Dia Internacional da Educação, celebrado em 24 de janeiro, foi criado pela Assembleia das Nações Unidas para destacar o papel da educação para a paz e o desenvolvimento. Em uma mensagem gravada especialmente para a data, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou dos impactos da pandemia para os estudantes ao redor do mundo. “Hoje, o fechamento de escolas continua a afetar a vida de mais de 31 milhões de estudantes, exacerbando uma crise global de aprendizagem”, disse. “A educação é um bem público proeminente e um facilitador essencial para toda a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, completou.

Além de ser um espaço para o desenvolvimento cognitivo e psicossocial, a escola também é o local onde muitas crianças em comunidades mais vulneráveis ao redor do mundo fazem sua única refeição completa do dia, o que representa uma importante estratégia de combate à fome e à desnutrição. Ao longo dos 10 anos de atuação, o Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil tem trabalhado com países parceiros na construção e no fortalecimento de programas de alimentação escolar acessíveis, adaptados à realidade local e com oferta de alimentos produzidos na própria comunidade.

 

Ganhos sociais

Saúde e nutrição adequadas são essenciais para que os estudantes possam aprender melhor e ter melhor desempenho escolar de forma geral. Além disso, a alimentação escolar serve de incentivo para frequência escolar, além de retirar das famílias o peso financeiro de fornecer uma alimentação nutritiva e fresca diariamente e apoiar aquelas famílias que não têm condições de prover essa alimentação. Ao beneficiar as crianças e suas famílias, a alimentação fornecida na escola ajuda a criar o que se chama de capital humano, que combina saúde, habilidades, conhecimento, experiência e hábitos de uma população.

Quando a alimentação escolar é ligada à agricultura local, ela também beneficia a economia. Por tudo isso, é possível afirmar um investimento de US$ 1 em alimentação escolar pode gerar até US$ 9 em retorno para aquela sociedade. Em um estudo recente feito pelo Centro de Excelência em São Tomé e Príncipe é possível ver, na prática, as vantagens do investimento em programas alimentação escolar. A publicação está disponível aqui.

 

Pandemia

Durante a pandemia e o fechamento das escolas, vários países tiveram que adaptar seus programas de alimentação escolar para assegurar a distribuição de comida para essas populações. Entre as soluções encontradas pelos governos locais estão a revisão dos benefícios alocados por criança, a revisão da modalidade de distribuição e a transferência direta de renda.

No Brazil, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que atende mais de 40 milhões de estudantes com refeições nutritivas diárias, foi adaptado para que o alimento continuasse a chegar às famílias dos alunos que permaneceram em casa com o fechamento das escolas. Para saber mais sobre as adaptações feitas no programa, acesse esta publicação.

Alunos da PUC-Rio apresentam projetos sobre adaptação de programas de alimentação escolar

No dia 22 de dezembro, o Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil participou da apresentação final dos projetos elaborados por alunos do Mestrado Profissional em Análise e Gestão de Políticas Internacionais, um programa de pós-graduação do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Os alunos, com o apoio do Centro de Excelência, analisaram as diferentes estratégias de adaptação à pandemia desenvolvidas por quatro países do Sul global para adequar a implementação e garantir a continuidade de seus programas de alimentação escolar no contexto de fechamento de escolas.  

Os alunos focaram nas distintas estratégias de resposta, destacando desafios e aprendizados na adaptação de políticas de forma emergencial e em um contexto de grande incerteza. O projeto teve como objetivo revisar o potencial impacto da pandemia nos programas de alimentação escolar de forma multidimensional, enfocando os eixos temáticos de nutrição, desempenho escolar e agricultura local. 

Essa atividade inicial faz parte de uma parceria mais ampla estabelecida entre o Centro de Excelência do WFP e o Instituto de Relações Internacionais da PUC Rio. Nos próximos anos, o Centro de Excelência e o IRI trabalharão juntos para produzir pesquisas e conhecimentos relevantes para os desafios e oportunidades reais vivenciados pelos países assistidos pelo Centro. O objetivo é engajar alunos e promover a produção de pesquisas de pós-graduação em áreas como impacto em programas de alimentação escolar, segurança alimentar e nutricional de populações vulneráveis, sistemas alimentares e desenvolvimento rural. 

Com o apoio técnico e institucional do WFP, os pós-graduandos terão a oportunidade de desenvolver trabalhos profissionais e acadêmicos que possam apoiar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em especial o ODS 2, voltado para a fome zero e a promoção da agricultura sustentável; e o ODS 17, que se concentra no fortalecimento dos meios de implementação e na revitalização das parcerias globais para o desenvolvimento sustentável até 2030. Os resultados dessa colaboração devem fornecer subsídios importantes para a assistência do Centro de Excelência do WFP aos países parceiros. 

Sobre o WFP – O Programa Mundial de Alimentos (WFP) recebeu o Prêmio Nobel da Paz de 2020. É a maior agência humanitária das Nações Unidas, salvando vidas em emergências e, por meio da assistência alimentar e de projetos de segurança alimentar e nutricional, contribui para a paz, estabilidade e prosperidade das pessoas que se recuperam de conflitos, de desastres e do impacto das mudanças climáticas.  O Centro de Excelência contra a Fome é fruto de uma parceria entre o WFP e o governo Brasileiro. A missão do Centro de Excelência é apoiar países em desenvolvimento na criação e implementação de soluções sustentáveis ​​contra a fome a partir da utilização das experiências exitosas desenvolvidas no Brasil. O Centro de Excelência do WFP atua também como um fórum global para o diálogo político e aprendizagem sobre alimentação escolar, agricultura familiar, nutrição e atividades relacionadas à segurança alimentar.  

Sobre o IRI – O Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) é um centro de excelência na área de Relações Internacionais no Brasil. Em seus mais de 30 anos de existência, o Instituto foi pioneiro na pesquisa sobre a política externa brasileira, nas mudanças políticas e econômicas da América Latina e nas transformações da ordem mundial. Seu Programa de Pós-Graduação forma pesquisadores que atuam em diversas universidades do país e do exterior, e seu Programa de Graduação está classificado entre os cinco melhores do país e os melhores do Rio de Janeiro. O Instituto é reconhecido internacionalmente como referência em ensino e pesquisa no âmbito da disciplina de Relações Internacionais e mantém uma diversificada rede de parcerias com importantes universidades no exterior. A PUC-Rio é uma das melhores universidades do país, com 24 departamentos e 11 unidades complementares dedicadas à pesquisa, ensino e extensão. 

POLICY BRIEF #5

Alimentação Escolar de Comunidades Tradicionais: O PNAE quilombola

O Brasil possui um dos maiores e mais estabelecidos programas de alimentação escolar do mundo, servindo diariamente a mais de 40 milhões de alunos em todas as regiões do país. Implementar esse programa em um país de dimensões continentais e com rica variedade étnica e cultural requer constante inovação e atenção às necessidades próprias de cada comunidade. O presente policy brief apresenta os desafios e soluções encontrados pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) para atender às necessidades e contexto de comunidades tradicionais quilombolas.

Faça o download »

Uma década de cooperação: Togo Uma década de cooperação: Togo

Uma década de cooperação: Togo

Em 2020, a Assembleia Nacional do Togo aprovou, por unanimidade, a Lei Nacional de Alimentação Escolar. A lei é resultado de um longo processo de advocacy, análise das experiências de outros países e intensa cooperação, com participação do WFP. Desde a aprovação, o governo nacional do Togo vem implementando o programa de Alimentação Escolar de acordo com as orientações da lei e está a caminho de transformar o programa em uma importante política estatal. 

Os esforços conjuntos do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil e do escritório do WFP no país para apoiar o governo do Togo no fortalecimento das capacidades nacionais de alimentação escolar incluiu, ao longo dos anos, além do estabelecimento de bases legais e normativas, uma comunicação regular e o compartilhamento de experiências por meio de missões presenciais, atividades remotas e facilitação da participação do Togo em eventos para trocas com países do sul global, como o Fórum Global de Nutrição Infantil. Em 2014, uma delegação do governo do Togo realizou uma visita de estudo ao Brasil, organizada pelo Centro de Excelência e pelo escritório de país do WFP, para conhecer a experiência brasileira em alimentação escolar vinculada à agricultura local. 

Como consequência dessa visita, em 2015, o Centro de Excelência, com o apoio do governo brasileiro, realizou uma série de missões ao país para apoiar no desenvolvimento da Política Nacional de Alimentação Escolar. Em 2016, o governo do Togo realizou o primeiro fórum nacional sobre o tema, que contou com a presença de 300 pessoas, incluindo atores nacionais no âmbito da alimentação escolar e representantes do Brasil, Benim, Burundi, Côte D’Ivoire, Níger e Senegal. O fórum discutiu a implementação da Política Nacional de Alimentação Escolar do Togo em uma série de mesas-redondas, grupos de trabalho e visitas de campo e recomendou a adoção de uma lei de alimentação escolar.

Descubra mais no livro “Uma década de Cooperação: 10 anos do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil”.

Para baixar a publicação “Experiências de Países: Togo”, clique aqui.

Uma década de cooperação: Quênia Uma década de cooperação: Quênia

Uma década de cooperação: Quênia

Os programas escolares operados pelo WFP e pelo governo do Quênia atuam como ferramentas para fortalecer a capacidade do país e garantir o acesso a alimentos seguros e nutritivos para crianças em idade escolar. Esses programas são meios importantes para aumentar a resistência a vulnerabilidades, choques e estresse, especialmente para agricultores familiares. A alimentação escolar vinculada à agricultura local é o principal programa escolar no Quênia e está em operação desde 1980. Hoje, o WFP, ao lado do Ministério da Educação queniano, fornece refeições nutritivas a 1,5 milhão de crianças. 

Desde 2009, as intervenções de refeições escolares passaram do WFP para uma modalidade de alimentação escolar vinculada à agricultura local liderada pelo governo, o que garante que os alimentos são comprados de agricultores locais, promovendo o desenvolvimento econômico local. Foi também em 2009 que começou a cooperação do Quênia com o governo do Brasil, quando o escritório de país do WFP começou participar de ações de cooperação com funcionários do Ministério da Educação Brasileiro. Entre 2011 e 2017, o Quênia recebeu apoio direto do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil para fortalecer seu programa de alimentação escolar e desenvolver a Estratégia Nacional de Alimentação Escolar e Nutrição. 

Em 2013, o governo queniano começou a se preparar para a expansão sustentável do seu programa de alimentação escolar ligado à agricultura local, que ocorreu entre 2014 e 2018. Essa transição teve como objetivo a construção de um programa de alimentação escolar no Quênia que fosse totalmente gerido pelo governo nacional, com ações integradas em educação e nutrição, e um programa que comprasse de agricultores familiares locais, estimulando o desenvolvimento econômico local.

Em 2015, o Centro de Excelência, o WFP e o governo brasileiro organizaram uma missão técnica ao Quênia para apoiar o governo daquele país na construção da Estratégia Nacional de Alimentação Escolar e Nutrição. Em 2016, uma visita de estudos teve como objetivo entender como o Brasil conseguiu integrar suas políticas e programas sociais nas áreas de segurança alimentar, nutrição, geração de renda, refeições escolares e agricultura familiar. Após a missão, o Centro de Excelência apoiou de forma remota e presencial o WFP e o governo do Quênia nas análises da estratégia.

Em 2018, o governo queniano aprovou formalmente e lançou a Estratégia Nacional de Alimentação Escolar e Nutrição. Em 2019, o processo de transferência de responsabilização do programa de alimentação escolar do WFP para o governo do Quênia foi finalizado. Apesar da conclusão do processo, o WFP continua atuando como parceiro do governo do Quênia, colaborando com apoio técnico, sempre que necessário. Para registrar o resultado do trabalho de apoio técnico, o Centro de Excelência desenvolveu, em parceria com o WFP e com o governo do Quênia, o documento “Experiências de Países: Quênia”, publicado no primeiro semestre de 2021. A publicação detalha a jornada do país no desenvolvimento do seu programa nacional de alimentação e o papel do Centro de Excelência em parceria com o governo do Brasil nesse processo.

Descubra mais no livro “Uma década de Cooperação: 10 anos do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil”.

Uma década de cooperação: Peru Uma década de cooperação: Peru

Uma década de cooperação: Peru

Participação em seminários técnicos, visitas de estudo e trabalho conjunto em projetos de nutrição marcaram as ações de cooperação entre o Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil e o Peru nos últimos anos. A parceria começou em 2015, com a participação no VII Seminário de Alimentação Escolar para América Latina e Caribe, que reuniu mais de 200 participantes, incluindo representantes de governos, especialistas regionais e internacionais de alimentação escolar e organizações públicas e privadas de 17 países da região. 

Já no ano seguinte, o Peru fez parte de um grupo de outros 10 países que vieram ao Brasil, com apoio do Centro de Excelência e do governo brasileiro, para o Dia de Alimentação Escolar e Nutrição. Organizado pelo Centro de Excelência, o encontro apresentou pontos importantes da experiência do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), principalmente aos países que ainda não tinham vindo ao Brasil em visita de estudos. Aproveitando a agenda no Brasil, a delegação do Peru também participou de um seminário sobre políticas sociais e de visitas de campo para conhecer as melhores práticas em segurança alimentar e nutricional no Brasil. 

A colaboração entre o Centro de Excelência, o WFP e o governo do Peru, que começou com a promoção da alimentação escolar, hoje inclui também ações de nutrição no âmbito do Projeto Nutrir o Futuro, iniciado em 2020. Como uma das primeiras atividades, um seminário com o setor de saúde dos três países participantes no projeto – Brasil, Colômbia e Peru – teve como objetivo apresentar e discutir as políticas de alimentação e nutrição. Em 2021, um segundo seminário lançou o primeiro produto do projeto, “Policy Brief #1: Obesidade Infantil – estratégias de prevenção e cuidado (em nível local)” e reuniu os parceiros Ministério da Saúde e a Agência Brasileira de Cooperação em um evento online, que contou com a participação de especialistas de várias áreas, incluindo gestores públicos locais, que compõem um dos públicos-alvo da publicação. 

Também em 2021, o Tour Virtual “Vinculando a agricultura familiar às compras públicas no Peru e no Brasil” promoveu um espaço de Cooperação Sul-Sul entre os governos peruano e brasileiro para compartilhar conhecimentos, boas práticas e lições aprendidas no desenvolvimento de programas de alimentação escolar local. O evento marcou a fase final de uma série de intercâmbios virtuais dentro do projeto “Promovendo a Participação de Pequenos e Médios Agricultores em Compras Públicas para Melhorar a Nutrição de Escolares no Peru”.

Descubra mais no livro “Uma década de Cooperação: 10 anos do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil”.

Uma década de cooperação: Moçambique Uma década de cooperação: Moçambique

Uma década de cooperação: Moçambique

Nos 10 anos de atuação do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil, o trabalho com Moçambique esteve presente em vários momentos, dando continuidade ao trabalho que o WFP realiza no país. Desde 1977, o WFP apoia a alimentação escolar em Moçambique para promover a permanência das crianças nas escolas diante de um contexto de insegurança alimentar. Em 2002, o apoio foi ampliado para 159 escolas primárias. Durante esse período, a alimentação escolar foi financiada e executada pelo WFP. A transição para a administração e financiamento da alimentação escolar pelo governo de Moçambique aconteceu entre 2007 e 2009, seguido da assinatura do acordo trilateral Brasil-Moçambique-WFP.

Em 2011, começa o apoio do Centro de Excelência (dentro do acordo trilateral) por meio do envio de uma consultora a Moçambique, entre novembro de 2011 e maio de 2012. Como resultado dessa contribuição, foi lançado um projeto piloto de alimentação escolar. Uma segunda fase do trabalho de consultoria aconteceu entre setembro e dezembro de 2012 com um novo formato que integrou uma proposta de compras locais pelo governo para inclusão no cardápio escolar.

Em 2013, o Conselho de Ministros de Moçambique aprovou, por unanimidade, a proposta do Programa Nacional de Alimentação Escolar de Moçambique (PRONAE). A proposta foi elaborada pelo Ministério de Educação e apoiada pelo Centro de Excelência e pelo WFP, e anunciada pelo governo de Moçambique em 2014. Parte dos fundos do PRONAE foram assegurados por meio de um Memorando de Entendimento assinado entre o Ministério de Educação de Moçambique, o Centro de Excelência e o governo brasileiro, por meio da a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). 

Em 2018, uma nova fase da parceria entre Brasil, Moçambique e o WFP começou com o objetivo de fortalecer os mecanismos institucionais e gerenciais por meio de nova iniciativa, o Projeto Além do Algodão. Com o objetivo de garantir produção sustentável e contribuir com a segurança alimentar e nutricional, o novo projeto promoveu reuniões técnicas e realizou uma oficina com 30 representantes de 14 instituições diretamente envolvidas na agricultura e segurança alimentar e nutricional do país com o objetivo de integrar as atividades do projeto às políticas nacionais de segurança alimentar e nutricional. 

Ao longo de 2019, o Centro de Excelência avançou com seu apoio a Moçambique tanto no desenvolvimento e avaliação do PRONAE, quanto no avanço do Projeto Além do Algodão no país. Apesar da pandemia da COVID-19, as atividades de campo do projeto Além do Algodão puderam ser iniciadas, graças ao esforço de coordenação feito remotamente a partir do Centro de Excelência no Brasil, com apoio de parceiros. 

Descubra mais no livro “Uma década de Cooperação: 10 anos do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil”.

Centro de Excelência do WFP participa de conferência sobre alimentação escolar na Romênia Centro de Excelência do WFP participa de conferência sobre alimentação escolar na Romênia

Centro de Excelência do WFP participa de conferência sobre alimentação escolar na Romênia

Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil, foi um dos palestrantes em uma conferência de alimentação escolar organizada pelo parlamento romeno, que está discutindo uma nova lei que visa expandir o programa nacional de alimentação escolar para chegar a 70% das escolas até 2024. O Centro de Excelência foi convidado a compartilhar sua experiência de 10 anos auxiliando países em todo o mundo na criação e fortalecimento de programas de alimentação escolar por meio da Cooperação Sul-Sul em parceria com o governo brasileiro. O evento, realizado na quinta-feira, 11 de novembro, reuniu especialistas do WFP, embaixadores da Finlândia e da Índia, além de representantes do Banco Mundial.

Em sua apresentação, Daniel Balaban lembrou de quando foi presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e compartilhou alguns detalhes sobre o Programa Brasileiro de Alimentação Escolar e como ele oferece alimentação gratuita para mais de 40 milhões de alunos todos os dias, além de cobrir áreas remotas do país, incluindo comunidades indígenas e quilombolas. Ele também detalhou como o programa é financiado e administrado. “Apesar do custo de quase US$ 1 bilhão necessário para executar o programa, isso representa menos de 0,5% da arrecadação de impostos do Brasil. Vários estudos ao redor do mundo mostram que o retorno do investimento na alimentação escolar pode chegar a nove vezes o investimento, com uma média de retorno de 5,5 para cada dólar investido no programa”, disse.

Ele também explicou mais sobre o trabalho realizado pelo Centro de Excelência no auxílio aos países na avaliação e formulação de políticas públicas, além das visitas de estudo, que agora são oferecidas também na modalidade virtual. Ele também destacou a importância do papel da comunidade e da sociedade civil como um todo no monitoramento do programa.

Peter Rodrigues, Oficial Sênior de Parcerias do WFP, destacou a importância dos programas de alimentação escolar como uma importante rede de segurança que protege crianças e famílias. Ele também lembrou que o tema foi discutido durante a Cúpula de Sistemas Alimentares das Nações Unidas, que anunciou a Coalizão Global de Alimentação Escolar, lançada oficialmente em um evento online esta semana. Ele também disse que a alimentação escolar é uma ferramenta importante em tempos de crise, como a provocada pela pandemia de Covid-19.

O evento ainda contou com palestras sobre programas de alimentação escolar na Índia e na Finlândia, além de apresentação do Banco Mundial. A gravação do evento está disponível aqui. Para saber mais sobre a “Visita de Estudo Virtual: Brasil” e solicitar uma visita, clique aqui.

Brasil participa do lançamento de nova Coalizão Global de Alimentação Escolar Brasil participa do lançamento de nova Coalizão Global de Alimentação Escolar

Brasil participa do lançamento de nova Coalizão Global de Alimentação Escolar

Com apoio do Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) foi destaque na cerimônia online que marcou o lançamento da Coalizão de Alimentação Escolar, na terça-feira, dia 16 de novembro. A nova coalizão, que tem o WFP como uma das organizações fundadoras, visa garantir que todas as crianças tenham a oportunidade de receber uma refeição saudável e nutritiva na escola até 2030, apoiando os países a criar programas nacionais eficazes de alimentação escolar. Mais de 60 países e 55 outros parceiros, incluindo universidades, institutos de pesquisa, ONGs e agências da ONU, se inscreveram na Coalizão, cujo trabalho será executado até 2030.

Karine Santos, Coordenadora do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), falou sobre algumas das características que tornaram o programa brasileiro reconhecido mundialmente. “O sucesso da política da alimentação escolar no Brasil está pautada no fato de que ela é uma política baseada no direito humano à alimentação adequada e saudável e também no acesso universal”, disse ela, ao mencionar a compra de alimentos de pequenos produtores locais e a necessidade de os cardápios serem elaborados por nutricionistas. Adriana Rossato Souza, nutricionista que trabalha no estado de Mato Grosso do Sul, também compartilhou sua experiência. “O fornecimento da alimentação na escola com uso de alimentos seguros, variados, que respeitem a cultura alimentar e que sejam produzidos em âmbito local, aliados à educação alimentar e nutricional realizada por profissionais nutricionistas fazem com que os alunos recriem seus hábitos alimentares e influenciem diretamente e positivamente seus familiares, amigos e parentes”, disse ela.

Brasil participa do lançamento de nova Coalizão Global de Alimentação Escolar

O evento também contou com a presença do Presidente Emmanuel Macron da França, do Presidente Tshisekedi da República Democrática do Congo, em sua função de Presidente da União Africana, do Ministro da Cooperação para o Desenvolvimento e Comércio Exterior da Finlândia, Ville Skinnari, e de David Beasley, Diretor Executivo do Programa Mundial de Alimentos. “Em apenas alguns meses, 60 governos e 50 organizações ao redor do mundo se reuniram para apoiar o ambicioso plano da Coalizão para garantir que todas as crianças possam ter acesso a refeições escolares saudáveis ​​até 2030. A pandemia da Covid destruiu uma década de progresso na expansão do fornecimento da alimentação escolar para as crianças mais vulneráveis ​​do mundo. Esta é a nossa chance de voltar aos trilhos”, disse David Beasley.

A Coalizão de Alimentação Escolar foi lançada em um momento de grande perigo para muitas das crianças do mundo, então sua missão será apoiar os países parceiros a expandir os programas de alimentação escolar, enquanto superam lacunas e gargalos. Várias iniciativas da Coalizão já foram lançadas este ano, com o objetivo de apoiar os governos a ampliar e melhorar seus programas de alimentação escolar. Carmen Burbano, Diretora da Divisão de Alimentação Escolar do Programa Mundial de Alimentos, disse: “É muito empolgante ver esta iniciativa sendo lançada este ano. Esses países acreditam que os programas de alimentação escolar são fundamentais para superarmos a crise da Covid-19. Mas a diversidade dos parceiros é apenas a ponta do iceberg do que é realmente necessário para realizar essa mudança”.

Nos últimos 10 anos, o Centro de Excelência do WFP no Brasil tem apoiado países para criar e fortalecer programas de alimentação escolar com compras locais por meio da Cooperação Sul-Sul, em parceria com o governo do Brasil. Saiba mais sobre o que foi feito até agora aqui.

A gravação do evento pode ser acessada aqui.

Centro de Excelência do WFP e Brasil realizam workshop final da Visita de Estudo Virtual do Lesoto Centro de Excelência do WFP e Brasil realizam workshop final da Visita de Estudo Virtual do Lesoto

Centro de Excelência do WFP e Brasil realizam workshop final da Visita de Estudo Virtual do Lesoto

O Centro de Excelência contra a Fome do WFP no Brasil deu as boas-vindas à delegação do Lesoto para o workshop de encerramento da “Visita de Estudo Virtual: Brasil” no dia 21 de outubro. A visita virtual é uma iniciativa conjunta com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e apresenta os pilares fundamentais da experiência brasileira em segurança alimentar e nutricional para um público global. A metodologia consiste em uma série de vídeos que simulam uma imersão no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Eles são complementados por workshops online, em que os participantes podem tirar dúvidas, trocar aprendizados e discutir possíveis próximos passos conjuntos.

Cecilia Malaguti, Coordenadora-Geral de Cooperação Sul-Sul Trilateral com Organizações Internacionais da ABC, destacou a crescente relevância da alimentação escolar como ferramenta central de proteção social no contexto de uma crise econômica e sanitária global. “Os intercâmbios que estamos realizando hoje exemplificam os principais objetivos e propósitos de nossa estratégia de Cooperação Sul-Sul. A alimentação escolar sempre foi tema prioritário e fundamental para as iniciativas brasileiras de cooperação internacional. Vemos isso como uma solução-chave para mitigar os níveis crescentes de pobreza e fome em todo o mundo”, disse Cecilia.

O workshop de encerramento reuniu 45 participantes do Ministério da Educação e Treinamento do Lesoto e do escritório e país do WFP, bem como representantes do FNDE, da ABC, da Embaixada do Brasil em Pretória e do Centro de Excelência do WFP. A reunião foi uma sessão interativa de perguntas e respostas, em que os participantes compartilharam lições aprendidas e boas práticas. Os desafios comuns discutidos incluíram o estabelecimento de estruturas legais robustas, definição de estratégias de financiamento, promoção da participação da comunidade e investimento no desenvolvimento de capacidades e colaboração multissetorial para a implementação de políticas.

Bruno Costa e Silva, falando em nome do FNDE, destacou o valor da sessão para ambas as partes do intercâmbio. “Essas oficinas são um aprendizado muito importante para nós também. Conhecer outros modelos, como o do Lesoto, nos ajuda a continuar melhorando o desenho e a implantação do nosso programa de alimentação escolar também aqui no Brasil ”, disse Bruno.

Em suas observações finais, Dhira Khama, Secretário Principal de Educação Básica do Lesoto, lembrou que este é um passo importante e inicial na colaboração entre os governos do Lesoto, Brasil e WFP. “Aprendemos muito com os vídeos e as reuniões virtuais e observamos muitas coisas que gostaríamos de incorporar em nosso próprio programa. Queremos continuar a nos engajar e obter todo o apoio que pudermos para garantir que a alimentação escolar seja um sucesso em nosso país ”, concluiu Dhira Khama.

A visita virtual é uma ferramenta central dentro da metodologia de apoio remoto do Centro de Excelência do WFP, uma iniciativa que visa fornecer assistência técnica de forma flexível e econômica. Para saber mais sobre a “Visita de estudo virtual: Brasil” e solicitar uma visita virtual, clique aqui.